Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

O agir de verdadeiros Congregados marianos

Imagem
Alexandre Martins, cm 23/03/2011  prólogo: Circulou pela Rede um email caluniando Congregados marianos cariocas e endereçado às lideranças leigas da Pastoral da Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro.  O texto a seguir é uma resposta a acusações levianas às Congregações Marianas e foi vinculado da mesma forma pela Internet.

As Congregações Marianas - associações públicas de fiéis - são reconhecidas pela Igreja desde o século XVI, tendo a primeira CM sido fundada em 1563. O caráter marcial e sua obediência ao Magistério da Igreja fizeram sua fama por séculos e seu cultivo das virtudes cristãs proporcionaram até agora 90 santos e bem-aventurados, além de 23 papas e um sem número de religiosos.
Cientistas como Alexandre Volta e artistas como Peter Paul Rubens foram Congregados marianos. Escritores como Mário de Andrade e politicos como o ex-vice-Presidente da República Marco Maciel também.
A Jornada Mundial da Juventude 2011 tem como padroeiros santos …

Os Nomes de Maria no Catecismo da Igreja Católica

Alexandre Martins, cm.
“Hodoghitria" ou “quem mostra o caminho”1
A partir do consentimento dado na fé por ocasião da Anunciação e mantido sem hesitação sob a cruz, a maternidade de Maria se estende aos irmãos e às irmãs de seu Filho "que ainda são peregrinos e expostos aos perigos e às misérias”. Jesus, o único Mediador, é o Caminho de nossa oração; Maria, sua Mãe e nossa Mãe, é pura transparência dele. Maria "mostra o Caminho" (em grego Hodoghitria), é seu "sinal” conforme a iconografia tradicional no Oriente e no Ocidente. “Panhaghia” ou “toda santa” 2Os Padres da tradição oriental chamam a Mãe de Deus "a toda santa" (do grego Pan-hagia), celebram-na como "imune de toda mancha de pecado, tendo sido plasmada pelo Espírito Santo, e formada como uma nova criatura". Pela graça de Deus, Maria permaneceu pura de todo pecado pessoal ao longo de toda a sua vida…

O voto de virgindade de Maria

Imagem
Alexandre Martins, cm.
           Conhecemos muito pouco sobre a adolescência de Maria. E tudo nos é dado pelos Evangelhos Apócrifos. O que nos provém dos Evangelhos Canônicos refere-se a seu encontro com o Anjo Gabriel.            Distinguimos um fato que nos basta para adivinhar a sequência: trata-se do voto de virgindade que fizera e que ela refere ao Anjo, no início de sua visita, com uma entonação que pode parecer um pouco estranha.            Isso indica um propósito amadurecido. E, se pudermos supor como esse seu desígnio é verdadeiro, genuíno, apesar dos seus quinze anos, devemos imaginar que ela era criança precoce tendo, bem cedo, sondado a existência, e percorrido, com sábia maturidade, as dimensões da vida.            Para julgar esse propósito de se manter virgem e compreender a agudeza de espírito, convém lembrar a mentalidade dos Judeus em relação à virgindade.           A primeira lei do Criado…

Turris Eburnea

Imagem
Alexandre Martins, cm
Na tradição judaico-cristã, a expressão “Torre de Marfim” é um símbolo de nobre pureza. Originou-se no livro do Cântico dos Cânticos (capítulo 7,4) - "Seu pescoço é como uma torre de marfim" - e foi acrescentado aos epítetos da Virgem Maria na Ladainha Lauretana1 do século XVI (torre de marfim, em latim: Turris eburnea). Trata-se de um texto atribuído ao Rei Salomão. Grandes místicos cristãos, como São João da Cruz, utilizaram muito estes versículos como uma forma de experimentar de maneira profunda os mistérios do amor de Deus. A torre era importante nas antigas cidades protegidas por muralhas. Na época do Rei Salomão poucas coisas eram tão belas e imponentes quanto uma torre. O poema diz que o pescoço de sua amada se parece com uma “Torre de Marfim”. No primeiro livro de Reis, no capítulo 10, na visita da Rainha de Sabá ao Rei Salomão, ela ficou …

O ícone de Lydda

Imagem
Alexandre Martins, cm.

          A Sé Titular da Palestina Prima no Patriarcado de Jerusalém, Lydda é chamada atualmente de Lod. Lod (em grego Lydda) é uma cidade da Palestina, na Planície de Sharon, a sudoeste de Jafa. Dista cerca de 20 quilômetros de Jopa, na estrada para o porto de Jerusalém. Seu padroeiro é São Jorge, pois acredita-se que o santo tenha nascido lá.           Foi fundada por Samad, da tribo de Benjamim, conforme relatam as Sagradas Escrituras (1Cr 8,12). Tempos depois, alguns de seus habitantes foram capturados e levados a Babilônia, depois retornando os sobreviventes (Esd 2,33; Ne 7,37; 11,34). Em meados do século II a.C a cidade foi dada pelos reis da Síria aos Macabeus (1Mac 11,34.57). O imperador Júlio César deu Lod aos judeus em 48 a.C. A cidade teve guerras civis durante a revolta dos judeus contra Roma no primeiro século da Era Cristã.          Os primeiros cristãos da cidad…