A Devoção à Virgem na Congregação Mariana


tradução por Alexandre Martins, cm, do Original espanhol*






A devoção à Virgem na Congregação também envolve a imitação das suas virtudes em grau extremamente elevado. Ela é o Modelo e Mestra de santidade. Devemos copiar sua vida em todos os detalhes, refletir especialmente em nós sua pureza imaculada. Nesta escola de Maria é onde se aprende e se consegue a imitação de Jesus, a perfeição cristã.
Por isso o lema da Congregação: "A Jesus por Maria".
Em Maria devemos colocar toda a nossa confiança. "A Mãe de Deus é a minha mãe!" - disse s. Estanislau Kostka, o jovem Congregado mariano.
Incessantemente nos dirigimos a ela: através do Rosario (sem o qual não existe um Congregado); pelo Angelus, pelo uso da Medalha... É necessário, finalmente, nos encorajarmos uns aos outros para amar e servir com piedade filial, primeiramente entre nós mesmos. Com o exemplo e com palavras.
Devemos nos empenhar que a Virgem seja de todos conhecida e amada. Que todos experimentemr como é doce servi-La e quão é eficaz a sua proteção - nosso tesouro e seguro penhor da nossa salvação.
Mas, em última análise, a conclusão desta maneira prática e eficaz para viver na devoção Congregação à Santíssima Virgem, é a práticar a inteira, completa e perpétua Consagração à mesma Virgem Mãe, Lhe oferecendo em tributo a própria vida e prometendo-Lhe viver sempre entregue ao seu amor e serviço.
"A consagração à Mãe de Deus na Congregação Mariana é um dom total de si, para a vida e para a eternidade", diz o papa Pio XII, outro grande Congregado mariano.
Dar-se alguém a outro é entregar-se, dedicar-se de bom grado a satisfazer seus gostos e desejos. Não somente não fazer coisas que a desagradam, mas cumprir especialmente o que ela mais gosta. E o que mais gosta Maria? Não seria que seu Filho seja cada vez mais glorificado em intensidade (nossa própria santidade) e extensão (a salvação e santificação dos outros)?
Assim o papa Pio XII acrescentou: "Dom real, o que é verificado na intensidade da vida cristã e da vida apostólica."
O ato de consagração, não é um voto religioso ou apenas um juramento; não é uma simples cerimônia litúrgica ou uma promessa qualquer para agradar a Virgem; nem uma bela oração de "fórmula pura ou sentimental." É efetivamente uma doação baseada na palavra de honra pessoal dada livremente por quem deseja chegar a Jesus por intermédio de Maria, servindo-A, fazendo a Sua vontade, adaptando nossa vida com a vida e as virtudes dela.
Esta doação é universal, total: corpo e alma, coisas, bens e ocupações ... Todo eu, tudo o que faço, nunca poderia ser usado contra a aprovação Dela; seria como um sacrilégio; é Dela para Ela; e só se pode dedicar de acordo com os seus desejos, para a Sua glória e, consequentemente, do seu Filho divino.
Longe da ideia de uma rendição passiva e aniquiladora; se trata de uma entrega ativa e alegre, santificadora... Um sério compromisso de viver como coisa e posse de Maria.
Finalmente, é uma doação oficial e pública: "na Congregação", perante a Hierarquia, que recebe a Consagração e os companheiros Congregados já consagrados.
Não obriga sob o pecado, mas não seria embaraçoso para falar sobre pecado quando a medida é o amor e a generosidade?
Em vez disso, possui certos efeitos jurídicos perpétuos: a perseverança do Congregado o separa da multidão frívola e inconseqüente e o marca com um "caráter" espiritual, o "signum Mariae".
Com ele adquire uma forma de novo estado de vida que é uma nova maneira de ser e de agir, uma vez que nos faz "Ministros de Maria".
Ao se consagrar você dá inteiramente a Maria. Ah! Mas ela dá-lhe mais do que você pode esperar e imaginar. Em troca de sua fidelidade, que é o maior bem para você. Ela dá-lhe seu amor materno, sua protecção da Rainha, sua intercessão de Onipotência suplicante, a graça de seu Divino Filho que tudo pode e vale mais do que o mundo!

***




*- artigo do Congregado Alfonso de Jesus Marin Gonzalez, inspirado no documento "Princípios básicos para a formação da congregados" retirado do Boletim das Congregações Marianas de Madrid, março-abril de 1948.

Postagens mais visitadas deste blog

Os símbolos do Natal

Sede da Sabedoria

Jorge da Capadócia