O agir de verdadeiros Congregados marianos

Alexandre Martins, cm
23/03/2011 
 
 
prólogo: 
Circulou pela Rede um email caluniando Congregados marianos cariocas e endereçado às lideranças leigas da Pastoral da Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro. 
O texto a seguir é uma resposta a acusações levianas às Congregações Marianas e foi vinculado da mesma forma pela Internet.

  

As Congregações Marianas - associações públicas de fiéis - são reconhecidas pela Igreja desde o século XVI, tendo a primeira CM sido fundada em 1563. O caráter marcial e sua obediência ao Magistério da Igreja fizeram sua fama por séculos e seu cultivo das virtudes cristãs proporcionaram até agora 90 santos e bem-aventurados, além de 23 papas e um sem número de religiosos.

Cientistas como Alexandre Volta e artistas como Peter Paul Rubens foram Congregados marianos. Escritores como Mário de Andrade e politicos como o ex-vice-Presidente da República Marco Maciel também.

A Jornada Mundial da Juventude 2011 tem como padroeiros santos Congregados marianos: Rafael Arnaiz, Rosa de Lima e o saudoso João Paulo II. Isso demonstra o caráter sempre atual das Congregações Marianas (CCMM).

Atualmente há Congregações Marianas em vários países, como EUA, Colômbia, Líbano, Irlanda, Espanha, Grécia, México, etc.

Sou Congregado mariano há 25 anos e estou nas Congregações Marianas há 28. Dentre várias experiências no campo de pastoral - juventude, universitária, etc - tive sempre boas influências provindas das CCMM. Foi o que aprendi de comunhão eclesial e de atividade apostólica nas CCMM que me fez trabalhar no meio do Mundo como a Igreja pede a todos os leigos.

Infelizmente há, como em todo lugar, pessoas que não aproveitam do bem do local e agem de forma errada. Nas CCMM, isso ocorre, em grau bem menor, mas ocorre.

Acusações que "tal congregado disse isso" ou "aquele congregado desejou tal mal" não correspondem em absoluto o caráter de um verdadeiro Congregado. Temos estágios de preparação para a Consagração marial e muitos desistem no meio do caminho, provando que não tem vocação para um ato tão importante. Daí talvez a confusão de dizerem "um congregado" ou invés de "alguém que frequenta uma CM". Se tal atitude ocorre por parte de um Congregado, não corresponde ao que se ensina nas CCMM e é um caso raro e à parte. O conhecimento de um ato como esse por parte dos dirigentes pode levar a sua expulsão se não houver emenda por parte dele.

Em todos os setores da Igreja atual iremos encontrar Congregados marianos. São pessoas abnegadas que desejam apenas "sentir com a Igreja", usando do lema "Omnes cum Petro ad Iesum per Mariam" - do latim, "todos com Pedro a Jesus por Maria".

Não há cizanias por parte de verdadeiros Congregados. Não há agressividade. Há sempre concórdia e desejo de ajudar (um desejo tão grande que muitas vezes esquecem das próprias CCMM para ajudar uma pastoral).

Nossa Regra de Vida, aprovada em 1998 pelo Pontifício Conselho dos Leigos, é a continuação da primeira Regra, publicada em Bula de 1586. Temos tradição e contemporaneidade. Somos mais uma alternativa dentre tantas da Santa Igreja para todos os fiéis - leigos e religiosos - que desejam seguir a Cristo.

aos que desejarem conhecer-nos, há vários sítios de Internet, dentre os quais cito:
em nossa página temos um email para sanar quaisquer dúvidas sobre nosso modo de ser e nossas atividades em: contato@sededasabedoria.org

a todos nossos irmãos em Cristo, nossa saudação oficial:

Salve, Maria!

Postagens mais visitadas deste blog

Os símbolos do Natal

Sede da Sabedoria

Jorge da Capadócia