Apagar os incêndios


Muitas vezes, a posse de uma Diretoria de Congregação Mariana parece como uma brigada de incêndio prestes a entrar em ação.
Com jeito apressado, contumaz, estes novos diretores se atropelam em pegar os livros de Atas e documentos deixados pela gestão atual, sem ao menos esperar que a Posse seja efetuada.
Nada de mais errado.
Como bons congregados, devemos ter disciplina e ponderação em todas as nossas atitudes.
Existe todo um "ritual" a ser precedido para que as coisas andem bem.
Em Congregações grandes, fazem-se chapas para a eleição. Com simplicidade, componham-se chapas, contendo apenas o presidente, seu vice, o secretário e o tesoureiro. O Instrutor é de bom tom que seja indicado ou mesmo nomeado pelo Assistente-Eclesiástico. É uma forma do sacerdote se mostrar mais participativo, se já não o for, e ao mesmo tempo, demonstrar a todos que este é um foro de exclusividade do membro da Hierarquia.
Em Congregações pequenas, uma reunião especial para este fim é o suficiente.
Após a eleição, então, faça-se tudo ponderadamente.
O novo Presidente se reúne com a futura diretoria e coloca cada um em contato com seu antecessor, inclusive ele mesmo. É a hora de cada um ver onde está pisando, quais são os problemas que a Diretoria anterior ou mesmo cada diretor teve com elementos externos ou internos da Congregação. E para isso, nada como uma conversa em particular.
Isto feito, existem duas formas de passagem dos livros e documentos, bem como da prestação de contas: em particular ou em público.
Em particular, cada diretor faça de próprio punho uma carta relacionando os bens que estavam em seu poder e que agora estão sendo transmitidos para o novo diretor. Nesta relação detalhada, segue a assinatura dos dois diretores (o anterior e o novo) com o local e data. Este documento tem duas cópias, ficando uma em poder do antigo diretor e a outra demonstrada a quem quiser consultar nos documentos da Congregação.
Em público, em uma, por vezes longa e cansativa, porém útil reunião de passagem de Diretoria, feita em geral após a Posse da nova Diretoria.
Deve-se pensar que não está a nova Diretoria correndo para apagar focos de incêndio, como se fosse nos primeiros meses "consertar" todos os problemas que a Diretoria anterior teve, mas por outro lado, ser agricultores tomando posse de um novo pedaço de terra. Como novos agricultores, devem ter sabedoria para aproveitar as sementes que já foram lançadas esperando que floresçam, aproveitar o arado já feito e fazer outro que não tenha sido começado, afofar a terra para nova semeadura e o mais importante: esperar os frutos.
A Congregação sempre é um trabalho de médio e longo prazo.


Alexandre Martins, cm.
17 de agosto de 2005

Postagens mais visitadas deste blog

Os símbolos do Natal

Sede da Sabedoria

Jorge da Capadócia